PT
DESTAQUE DE HOJE
Febre-amarela “está controlada”
Há mais de dois meses que o país não regista novos casos da doença. As autoridades asseguram que a situação está controlada. Desde o início da campanha, mais de 13 milhões foram vacinadas. No entanto, com o regresso das chuvas, teme-se o surgimento de novos casos. A OMS desmente que tenham desaparecido mais de um milhão de vacinas, como foi noticiado por uma agência norte-americana.
Caderno do Estudante
O reitor da Universidade Gregório Semedo (UGS) admite que poderia haver “mais rigor” no acesso à universidade, mas avisa que a medida deixaria de fora milhares de alunos, com “repercussões sociais graves”. José Semedo entende que o “ponto fraco principal” da Educação é o professor no ensino de base. Em entrevista ao NG, o académico considera “uma tautologia” que se fale com frequência sobre as propinas no ensino superior e critica a falta de “coragem” para se travar os “muitos erros” cometidos na Educação.
» ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Honra no meio de falhas
O vice-presidente da Federação Angolana de Andebol (FAAND), Ilídio Cândido, promete revelar o que correu mal à selecção durante a participação nos Jogos Olímpicos (JO).
De porteiro ao sucesso na música
Chamam-no ‘feiticeiro’, por causa do sucesso rápido, mas Mestre Dangui garante que só “tem talento”. Apesar disso, lamenta não ser convidado para espectáculos, mas não lhe faltam convites para fazer participações com artistas de renome.
Líder do MPLA desafia dirigentes a “servir o povo”
Reeleito com cerca de 99,6 por cento de votos no congresso, o presidente do MPLA, José Eduardo Santos, garantiu que o partido “está preparado” para vencer as eleições, em 2017. No cogresso, que encerrou sábado passado, JES defendeu uma “gestão rigorosa” da coisa pública e lembrou que os dirigentes “devem servir o povo e não se servir do povo”.
» TODAS AS NOTÍCIAS
EDIÇÃO IMPRESSA PDF
Edição nº 215
25 August, 2016
Nº215
NEWSLETTER
Subscreva já a nossa newsletter e receba as últimas notícias e o que há de novo no nosso website.
Nome
E-mail
Pergunta da semana
Muitos estudantes são forçados a pagar a propina completa, mesmo quando só têm uma cadeira em atraso. As universidades dizem que “só estão a cumprir a lei”. Acha justo? Qual seria o meio-termo?