PT

Sudão do Sul

Crianças-soldado preocupam UNICEF




A crise no Sudão do Sul começou em Dezembro de 2013 e estima-se que os grupos armados tenham recrutado cerca de 16 mil crianças. Apesar de ter havido um compromisso político para pôr fim a esta prática, a UNICEF afirma que as crianças continuam a ser usadas para combater e, por isso, pede o “fim do recrutamento de crianças e a sua libertação incondicional por parte dos agentes armados”.


Só neste ano, já foram recrutadas mais de 650 crianças e receia-se que o conflito coloque milhares em risco. Em 2015, a UNICEF libertou quase duas mil crianças-soldado. Os relatórios recentes daquela organização dão conta de violência sexual generalizada contra raparigas e mulheres.


Na semana passada, mais de 4.500 toneladas de comida, avaliadas em mais de 28 milhões de dólares, desapareceram dos armazéns do Programa Alimentar Mundial em Juba, capital do Sudão do Sul. Os mantimentos estavam armazenados desde Julho, antes do início dos confrontos entre forças rebeldes e o presidente Salva Kiir, e eram suficientes para alimentar 220 mil pessoas durante um mês.

» LEIA TAMBÉM

» Deixe o Seu Comentário