PT

Com operação policial

Férias “tranquilas”

Por André Kivuandinga

Durante o período da quadra festiva, entre 24 de Dezembro e 1 de Janeiro, a Polícia Nacional (PN) registou 168 acidentes de viação, que causaram 35 mortos e 180 feridos. Os dados constam do relatório apresentado, em Luanda, na semana passada, pelo porta-voz subcomissário Orlando Bernardo. Em relação a 2015, houve uma redução de 63 acidentes, 22 mortos e de 77 feridos.


Dos acidentes, destacam-se 59 atropelamentos, com 20 mortos e 52 feridos, 41 choques entre automóveis e velocípedes, 27 colisões entre automóveis, com quatro mortos e 29 feridos. Foram aplicadas 501 multas e apreendidas 101 viaturas, 243 motociclos, 218 cartas de condução, 127 livretes, 65 guias e 53 títulos de propriedade por diversas infracções ao Código de Estrada. Nos postos de controlo por radares colocados em Luanda, Kwanza-Sul, Benguela e Huambo e foram detectados 58 automobilistas a conduzirem em excesso de velocidade.


Durante o período de nove dias, a Polícia Nacional realizou a ‘Operação Tchisseke 2016’, que, em cokwe, significa “alegria”, da qual resultou a detenção de 475 pessoas por suspeitas de vários crimes.


As estatísticas criminais foram lideradas por Luanda, com 115 crimes, mais 48 que no período homólogo do ano passado. A Huíla registou 34, Huambo 28 (menos 13), Lunda-Sul 26 (mais 5), Moxico 19 (mais três) e Kuando-Kubango com 25 crimes (menos dois). Neste período, segundo o relatório policial, foram apreendidas 35 armas de fogo, três carregadores, oito munições, duas viaturas, 19 sacos equivalentes a 364 quilos de liamba, um computador, um televisor, um aparelho de ar condicionado, geleira, 500 mil kwanzas, entre outros meios.


Neste período, foram registados 13 homicídios voluntários, sete dos quais esclarecidos, ocorridos em Luanda (8), Huíla (3), Benguela (1), Lunda-Norte (1), um parricídio (filho que matou a mãe), ocorrido no Moxico, dois homicídios involuntários, dois frustrados e uma tentativa de homicídio, ocorrida na Huíla.


Em conferência de imprensa, o ministro do Interior, Ângelo da Veiga Tavares, considerou as festas de Natal e de passagem de ano como “tranquilas”, celebradas “sem constrangimentos de maior”. “Não obstante algumas preocupações”, reafirmou. O governante mostrou-se “preocupado” com os acidentes de viação, particularmente o ocorrido na Lunda-Norte, em que faleceram 16 pessoas.


A Polícia Nacional registou ainda a ocorrência de 21 violações, mais oito em relação a 2015, com destaque para uma no Huambo, praticada por um homem de 75 anos contra uma menor de oito.

» LEIA TAMBÉM

» Deixe o Seu Comentário