PT

Projecto agrícola na Huíla

Nova fazenda em grande escala

Por Luís Morais

Mais de 2.500 empregos directos é o que pretende criar o projecto agro-industrial ‘Agrikuvango’, do Grupo Rui Tyihongo Kapose.


Instalado numa área de cinco mil hectares, a fazenda, situada no perímetro Irrigado do Kuvango, na Huíla, às margens do rio com o mesmo nome, é propriedade do empresário Rui Kapose, de 32 anos, que depois de se ter lançado nos negócios através da venda de viaturas e construção civil, pisca agora o olho à produção agrícola.


A Fazenda Kuvango vai dedicar-se à produção em grande escala de diversos produtos, como milho, arroz, trigo e ginguba. Para o desenvolvimento do projecto, Rui Kapose revelou, ao NG, que conta com meios técnicos e tecnológicos de ultima geração e que escolheu o local devido à sua posição geográfica e potencial como ter muita água, bom solo e clima.


Dos cinco mil hectares disponíveis, 75% vai ser uma zona de produção agrícola, 10% para instalação da componente industrial de transformação, armazenamento e comercialização, 15% para a base vida social com inclusão da população local de benefícios directos para as comunidades circundantes.


No lançamento do projecto, foram criados 850 postos de trabalho e, em pleno funcionamento, deverá gerar mais 2.500 empregos directos e 13.500 indirectos.


O principal objectivo é a produção, processamento e comercialização de bens alimentares de consumo primário bem como derivados da produção sustentável, como fuba, farinha de trigo, rações, biocombustível (que será utilizado de forma integrada e sustentável) resultante da queima da casca de ginguba.


Rui Kapose sustenta que o projecto Agrikuvango exige experiência e qualificação ao mais alto nível, pelo que a angariação de mão-de-obra especializada e a formação profissional são os “objectivos e pontos vitais”.


A proximidade aos principais eixos de comunicação, a 30 quilómetros a EN208, que liga a Huíla ao Kuando-Kubango, a 40 quilómetros a linha-férrea e a 80 do aeroporto da Jamba mineira, conferem uma vantagem crucial para o escoamento de produção.


As culturas da Fazenda Kuvango “respeitam uma política de rotatividade”. Por um lado, há o cultivo de arroz ao longo de todo ano, a produção do milho será feita em seis meses, sendo os outros seis os terrenos serão ocupados pelo trigo (75% da extensão) e pela ginguba.


Espera-se uma produção anual de nove mil toneladas de trigo e 7.500 de milho, já neste ano.

» LEIA TAMBÉM

» Deixe o Seu Comentário