PT

1.ª Convenção Nacional junta especialistas e praticantes

Fitness discutido em Luanda

Por Raimundo Ngunza  /  Foto Santos Samuesseca

Sob o lema ‘Em busca de qualidade de vida’, mais de 600 praticantes de exercícios físicos juntaram-se, em Luanda, no último fim-de-semana, com especialistas em nutrição, cardiologia, estética e actividade desportiva, para discutirem vários temas relacionados com a prática desportiva, na ‘Iª convecção nacional de fitness’.

Numa organização conjunta da empresa TDGS e do clube desportivo 1º de Agosto, durante 12 horas, no complexo ‘Girafa’, ao Benfica, os participantes abordaram a prática de exercícios físicos, os hábitos alimentares e nutrição. Os debates juntaram alguns momentos de descontração, com aulas de especialistas em ‘fit kuduro’, ‘spinning’ e ‘strong by zumba’, as novas categorias do fitness que têm ganhado muitos praticantes.

Paulo Martins, membro da equipa organizadora, considera que a convenção é uma forma de conviver e conhecer os ginásios existentes em Luanda, além das pessoas ligadas ao desporto. “Vamos suscitar nas pessoas a vontade de fazer coisas diferentes”, promete, referindo-se ao que considerou ter sido o “sucesso” da iniciativa que deve ser realizada entre duas e três vezes ao ano e que deve ser levada para outras províncias, dependendo de patrocínios.

Convidada a reflectir sobre o tema ‘hábitos alimentares’, a nutricionista Sheila Pagês declarou que a grande maioria dos angolanos “não possui bons hábitos alimentares”, face a existência de “mitos enraizados, deficiências nutricionais, além da desvalorização dos recursos naturais”, situação que deve ser analisada “com profundidade”.

Classificando a gastronomia angolana como “muito rica”, a nutricionista chama a atenção para “alguns erros” na preparação e confecção dos alimentos, como o abuso excessivo do óleo de palma, que provoca “grandes males” à saúde. “A nossa culinária deve ser saudável”, recomenda Pagês, que aconselha também a utilização de suplementos alimentares apenas nos casos em que os alimentos normais se revelem incapazes de cobrir determinada necessidade.

Bruno Samora, personal trainer, afirma, por sua vez, que o fitness já existia em Angola como desporto, mas agora tornou-se uma cultura “que pode ajudar a resolver muitos problemas da população”, como a obesidade, o sedentarismo e a pressão arterial. Samora classifica o fitness como uma “cultura de vida”, que deve ser feita de forma gradual e com os profissionais qualificados. Revelando que o ‘fitness kuduro’ já é uma marca registada, o personal trainer elogiou o envolvimento nessa modalidade desportiva de empresas como a Unitel e a Refriango, com as quais desenvolve um projecto “sobre uma ginástica nacional e bem-estar”.

Durante o evento, mais de dez expositores exibiram diversos produtos alimentares, considerados “saudáveis e nutritivos”, roupas desportivas, produtos naturais, suplementos alimentares e outros produtos e serviços ligados à prática de exercícios físicos.


Campeonato de fitness a caminho

‘Fit Kuduro’, ‘spinning’, ‘strong by zumba’, ‘aerofusion step’ e ‘zumba’ são nomes de algumas disciplinas desportivas do fitness que podem fazer parte do primeiro campeonato nacional de fitness. A concretização do projecto depende da existência de um ‘cross fitness’ que, entretanto, já se encontra em preparação, segundo Bruno Samora, que se mostra “feliz” com o surgimento de muitas academias. “Essas academias devem ser reconhecidas pelas autoridades competentes para o seu melhor controlo”, propões Samora, que louva a iniciativa de algumas universidades que implementaram, nos programas curriculares, o curso de fitness, “o que atesta que Angola está em bom caminho”.

» LEIA TAMBÉM

» Deixe o Seu Comentário