PT

O programa de Governo do MPLA 2017- 2022

MPLA promete consolidar a paz e lutar contra a corrupção

Por Valdimiro Dias   /  Foto Mário Mujetes

A proposta do programa de governação do partido maioritário foi apresentada na última quinta-feira. O conjunto das mensagens que o cabeça-de-lista, João Lourenço, vai passando nos seus comícios de apresentação pública ficou reiterado no manifesto. A consolidação da paz e o desenvolvimento económico estão em destaque. O combate à corrupção entra nas contas.

O partido no poder pretende “consolidar a paz e a democracia, o desenvolvimento humano e o bem-estar, além da edificação de uma economia diversificada”, apontou o vice-presidente do MPLA e candidato a presidente da República, João Lourenço, por altura da apresentação do programa de governação para os próximos cinco anos, na última semana, em Luanda. Assente em quatro eixos, nomeadamente ‘Angola da inclusão, do progresso e das oportunidades’, ‘Angola democrática e socialmente justa’, ‘Angola da governação moderna, competente e transparente’ e ‘Angola segura, soberana e com protagonismo internacional’, o programa do MPLA, no domínio económico, procura o desenvolvimento sustentável, alicerçado numa “economia diversificada, competitiva, inclusiva e sustentável”. No campo social, João Lourenço assegura que o foco da governação “continuará a ser o combate à fome e à pobreza e o aumento da qualidade de vida do povo angolano”, além de prometer “a expansão do capital humano e a criação de oportunidades de emprego qualificado e remunerador”.
Entre as prioridades, João Lourenço considera, como condição necessária para a reforma do Estado, o aprofundamento do processo de desenvolvimento de Angola, sublinhando que tem consciência de que “um dos factores fundamentais para o sucesso das nações é o bom funcionamento das instituições”. “Podemos ter muito boas estratégias, muito boas políticas, mas, se as instituições não funcionarem devidamente, tudo o resto fracassará, indica o ponto relativo à garantia da reforma do Estado, boa governação e combate à corrupção.
O vice-presidente do MPLA reafirmou o compromisso do partido na luta contra a corrupção, a má gestão do erário e o tráfico de influências. Para João Lourenço, o programa do MPLA para os próximos cinco anos “é coerente e consistente”, mas, para a sua aplicação “de modo efectivo e com sucesso”, são precisas instituições fortes e credíveis”. João Lourenço promete que o seu partido vai “promover e estimular a competência, a honestidade e entrega ao trabalho e desencorajar o ‘amiguismo’ e o compadrio” no trabalho, indicando que conta com “os angolanos empenhados na concretização do sonho da construção de um futuro melhor para todos”. O político destacou a realização de eleições autárquicas que permitirão posicionar o país “num movimento de verdadeira descentralização administrativa”, destacando que, com a instauração das autarquias, a administração estará mais próxima das populações, o que tornará mais fácil a perceção das suas necessidades e aspirações e também a sua satisfação.

» LEIA TAMBÉM

» Deixe o Seu Comentário